Acrônimo
outubro 31, 2003
  Ontem, uma vislumbrante italiana negou-me transa. Estou seco
  Melhor é domarmos os nossos histéricos ouvintes. 
outubro 30, 2003
  Osculei raparigas desdentadas... Eca! Medonho
  O respeito garante a ordem. 
  Mas... o rei toca orgão
  E naquela tempestade eu não dormi imediatamente, acordei morto. 
outubro 29, 2003
  Abriguei bois, ornitorrincos, ronicerontes, ratos e cavalos. Eles me entendiam
  Eu saliento que um idiota não aborrece-me
  Eu sonho com luzes a reflectir em cada esquina
  O nicho demarcado esclarece
outubro 28, 2003
  Sumi, andando bêbado às duas. Onde? 
  Recebi estas indulgências sábado. 
  Onde reinam Deuses e não andam reis
outubro 27, 2003
  Um rei sabe ordenar. 
  Um só urso ronda... procura outro urso
outubro 25, 2003
  Ele xingou porque um ladrão safado o usurpou
  Apaticamente, consegui iludi-lo, dando entrada nos trabalhos econômicos. Indignado, me expulsou.  
outubro 24, 2003
  Saltei as lápides, aterrizando desastradamente: acidentei-me
  Eu sou como o "nome" da alface... salada
  O bom vem imediatamente, agora mesmo, então não te escondas. 
outubro 23, 2003
  Solitário, ele começou recolhendo estojos. Tentou armazenar remédios. Indignou-se, obviamente
  É muito ódio. Comentou o excelentísimo secretário. 
  Seus obscenos chamados, indecentes e deliciosos, ainda despertam emoções
  Os boatos vieram instigar a sociedade
  Oras, bem sabia! Ontem levei escusas tão óbvias
  Sou o campeão! O Rei ruíu obsoleto
  Um renomado reitor omitiu socorro. 
outubro 22, 2003
  Morderam os restos, rompendo em urros
  Ouviu nove trombetas e morreu
  Somente as prostitutas andavam trabalhando ontem
  Rompes o que usas e, insistes romper o sapato
  Ontem bebemos. Só esperávamos rever velhos alemães roqueiros
outubro 21, 2003
  O inimigo tentou observar. 
  Só um camarão?! Eu sempre servi oito
  Sem orégano, nosso excelente tempero obteve sucesso! 
outubro 20, 2003
  Li excertos gratuitos, indicados simbolicamente. Lá, apenas técnicos ignorantes viam os sonetos
  O risco internacional geralmente interfere nos acordos legislativos. 
  Serás um menino inteligente, doido, original
  Aquele dia morreu injustamente nosso inesquecível sobrinho. Tristeza, rancor ao depor. O revólver está sumido
  Estivadores revelaram-nos rotineiras armações dos administradores
  São imagens minhas, para lembrar e sentir menos encostado na terra errada
  Senti-me estranhamente nervoso tentando imitar movimentos extravagantes na televisão... orgulho, simplesmente
  Olhava longe, há anos resolvera esconder sentimentos.
 
outubro 18, 2003
  Melhor ainda que uma invenção nova, aquilo realmente invocou olhares. 
  Orientais não temem estragar maquinário
  O rei ganhou uma linda homenagem ontem
outubro 17, 2003
  Solitária índia, mantenha-se pura! Alimente tua insensatez com orgulho
  Obrigado mãe, eu li este teu e-mail simpático. 
  Seria insolente requerer várias omeletes
outubro 16, 2003
  Receio em jurar esforço incondicioanal, tampouco ajudo demasiadamente onde sirvo. 
  Eu nunca tive esperanças. Nasci de esporos rejeitados
  Lugares inabitados, buscava incessantemente, desanimado. Inquieto, nunca ouvia seus amigos. Muitos, esquecidos, nunca tentaram entender
  Orgias recentes instigaram esposas: numerosas transas agitaram-nas libidinosamente
  Seriam obesos barítonos escolhidos?, riu aquele nanico oriental.
 
  O rei gostava andar nú; ia contente o soberano
  Separei o lixo inorgânico dos alimentos orgânicos. 
outubro 15, 2003
  Escrevi, mas bem avisei: lembrar só aumenta minha ansiedade. Deixa-me ostentando solidão
  Sonhos indecentes me perseguem: lésbicas estrábicas se misturam entre nanicos totalmente embalsamados
  Sem o carro andamos realizados até mais não. Ande! Simplesmente... 
outubro 14, 2003
  Lhamas albinas mastigaram urtiga rara. Irados, ambientalistas socaram-nas
  Só ouço lamúrias!
 
  Só ao luar mato o Sol
  Ontem muitos brasileiros rezaram oitenta salmos
  Originalmente, ria, gargalhava. Ultimamente, leva horas olhando seus ombros
outubro 13, 2003
  Acabou minha opnião raivosa, odiosa, sairei orgulhoso. 
  Amanhã ganharei um dálmata amoroso
  Sua irmã nunca gritava. Racionava a voz aguda
  Sereno, o navio há anos desviava os rios e singrava.
 
  Aquele lugar inventado, mas especial, nunca traiu os sonhadores. 
outubro 12, 2003
  AVISO IMPORTANTE (não é um acrônimo)
Se o link para o seu site não está correto, escreva para nós para arrumarmos. Verifique no placar.
 
outubro 10, 2003
  Seu útero indagava: "como irei descobrir alimentos?"
 
outubro 09, 2003
  Rainha espanhola ficou louca: ontem renunciou e suicidou-se, tristemente asfixiada... demente aristocrata suicida
  Somente os ninhos habitados arranquei das oliveiras reflorestadas
  Onde pairava o ramo tinha um nome inscrito. Dizia algo do eu sonhador
outubro 08, 2003
  Ainda tentei explicar: "Não chequei as oportunidades!" 
  Ontem ninguém deu atenção 
  Indagar resulta mais alta onda
  Ainda quero um irmão. 
outubro 07, 2003
  Ondas batiam rasas aqui...
 
  Rede insegura não dá obra
  Estou sonhando tentações ultimamente... devo acordar rindo
outubro 06, 2003
  Oito uruguaios vieram estudar. 
  Sem orelhas, nenhum homem ouve
outubro 05, 2003
  Saí emburrada. Reuniões mais organizadas eram sonho... Regra Nº 7 
outubro 04, 2003
  Olha, vamos acabar recebendo indagações ou sermões... Regra Nº 4 
outubro 03, 2003
  Dois ouvidos incham durante o sono
  Ou veriam alguém? Riam incontrolavelmente, os doidos
outubro 02, 2003
  O cio incha ovários.
 
  Sem inteligência logo estará num corrupto imorredouro ócio
  Sentiu a liberdade aumentar. Forte, rápido almejou romper, impedir o silêncio
outubro 01, 2003
  Saíram ontem? Nunca entreguei todos os salafrários!
 
  As duas irmãs clonadas invadiram o necrotério, ainda declamando os sonetos
A idéia vem de um blog internacional. Na Internet nem tudo se cria, muito se copia...! Enfim, aqui, em português, os participantes devem fazer uma frase em forma de acrônimo a partir das letras da última palavra do post anterior, que por sua vez é também um acrônimo nascido do mesmo jeito!

Última contagem feita em...
...adicionadas
(27/05/2004)

PLACAR
 Alexandre - 84 (desde 9/7)
 Eu mesmo - 74 (desde 30/8)
 Ana - 41 (desde 17/8)
 Michel - 38 (desde 29/7)
 Clarissa - 38 (desde 1/7)
 Chico - 37 (desde 3/7)
 Ibere - 34 (desde 29/8)
 Laura Palmer - 32 (desde 31/7)
 Luiz - 30 (desde 30/8)
 Laura - 30 (desde 31/7)
 Frederico - 28 (desde 29/8)
 Gabo - 23 (desde 27/6)
 Thiago - 23 (desde 11/8)
 zhion|off - 20 (desde 29/8)
 Marcel - 18 (desde 18/8)
 Judson - 16 (desde 29/8)
 Gustavo - 12 (desde 17/8)
 Hardy - 12 (desde 9/8)
 Nando - 11 (desde 31/7)
 Infectious Human Waste - 9 (desde 28/6)
 Camila - 6 (desde 30/6)
 Camila Cirila - 6 (desde 2/7)
 Leandro - 6 (desde 27/6)
 Priscilla - 4 (desde 27/6)

O jogo
Forme uma frase a partir das letras da última palavra do post anterior. Não importa se a sentença é séria, engraçada, indecente, boba... O importante é que as regras sejam seguidas! Cada acrônimo vale um ponto. Todo mundo com vontade de participar é bem-vindo.

Escreva-nos para se juntar ao Acrônimo, não esquecendo de nos mandar seu nome e o link para o seu blog. Ou então, jogue em inglês ou em espanhol.

Algumas regras
1. crie frases lógicas, não despeje palavras, apenas.
2. nomes de pessoas não são permitidos, a menos que sejam muito conhecidos.
3. sua última palavra não pode ter mais de 20 caracteres. Marque-a em negrito
4. no eventual caso em que dois ou mais participantes mandem acrônimos criados a partir da mesma palavra do post anterior, os mais recentes serão desconsiderados.
5. um mesmo participante não pode postar duas sentenças seguidas.
6. como não há palavras iniciadas com "ç", em caso de aparecer essa letra deve-se considerar como sendo "c". Acentos também devem ser ignorados.
7. frases feitas a partir de acrônimos desconsiderados também serão desconsideradas.
8. se houver algum problema com frases postadas e rejeitadas por alguma regra, entre em contato por email. Não escreva posts que não sejam acrônimos.
9. reveja a sua frase e as imediatamente anteriores antes de postar. Se porventura um participante cometer um erro em sua frase, não aceite a última palavra. Continue a partir do último post correto.

ARCHIVES
Junho 2003 / Julho 2003 / Agosto 2003 / Setembro 2003 / Outubro 2003 / Novembro 2003 / Dezembro 2003 / Janeiro 2004 / Fevereiro 2004 / Maio 2004 / Junho 2004 / Agosto 2004 / Setembro 2004 / Novembro 2005 / Janeiro 2006 / Agosto 2009 / Maio 2011 / Junho 2011 /


Powered by Blogger